A imbecilização e os Coxinhas na política Brasileira

Pesquisa recente feita no Pará analisa tendência do eleitorado para 2018, e constata que quanto mais Bolsonaro abre a boca para falar, mais perde voto.

0
13

Uma viagem de táxi, três passageiras  discutem sobre a política no país. Na opinião daquelas senhoras a única alternativa para corrigir e enfrentar a violência e a corrupção é o militar Bolsonaro.

Pesquisa recente feita no Pará analisa tendência do eleitorado para 2018, e constata que quanto mais Bolsonaro abre a boca para falar, mais perde voto.

Mas quem é esse militar? Para saber é  preciso conhecer um pouco da história de formação do Exército brasileiro, três grupos distintos faziam parte da fundação do Exército: os coronéis latifundiários do nordeste, os nacionalistas conservadores e o setor progressista. Com o passar dos anos, o exército e  as forças armadas isolaram e expulsaram os progressistas e se consolidaram como protagonistas os latifundiários e conservadores.

Bolsonaro é  herdeiro direto dos nacionalistas conservadores com forte influência dos latifundiários, é  influenciado pela ideologia do golpe militar de 64. Defende o machismo, é  colonialista e prega a superioridade da raça branca. É claramente contra direitos de pobres, negros, LGBT etc.

Todas as manifestações dos últimos cinco anos promovidas pelas elites conservadoras e com apelação midiática dos grandes monopólios da TV promoveram uma grande imbecilizacao na maioria do povo brasileiro.

Os símbolos dessa campanha utilizaram da corrupção como mote central para desmantelar o Estado brasileiro; o bode expiatório foi o PT, Lula e a esquerda. E dentro do bojo dessa campanha de maldades, mentiras e perseguições é que surge os “salvadores da pátria”.

Para entendermos melhor tudo isso, imaginemos milhares de coxinhas seguindo como robôs as passeatas da direita e fazendo os panelaços. Por trás de tudo isso, os intelectuais da burguesia agiam organizando suas pautas e suas narrativas. Os representantes do capital infiltrados nas massas eram representados pelo MBL,  Vem pra Rua e outros. Tudo orquestrado e planejado, financiados pela Fiesp, promovidos pelo Instituto  Millenium e treinados pela CIA.

O resultado da imbecilização é Bolsonaro e João Dória. O resultado de tudo é um carioca com cara de soldado zero, e o outro paulista com cara de  zé do urubu. São as eleites mais ricas do Brasil controlando a política e a economia do país.

E quem são os coxinhas?  São todos os imbecis que acreditam  nas mentiras e tramas que significam, nada mais nada menos, perdas de direitos, desmantelamento do Estado democrático, crime de lesa  pátria contra o patrimônio do povo brasileiro.

Por fim, coxinhas não são os patos amarelos da Fiesp, e sim os imbecis que carregam os patos.

Sem comentários